Fechar Menu
Abrir Menu

Sendim

Nº de eleitores: 1.457
Presidente:  José Carlos Pinto da Silva (Sim Acredita L-PS)

Sendim

Área: 703 ha / Fonte: CAOP
População: 1.627 habitantes – 781 Homens e 846 Mulheres
Densidade: 2,52 hab/ha / Fonte: INE 2001

No lugar do Crasto, viveram povos pré-historicos romanizados e depois subjugados por aguerridos invasores, dos quais deve descender SENDIN, que deu o nome à freguesia.
A Freguesia de Sendim surge, a quem segue de Felgueiras para Fafe, pouco depois de contornar o Monte de Santa Quitéria, encontrando à sua esquerda, no lugar da Estradinha, o principal acesso à freguesia. De cariz predominantemente agrícola, situa-se num largo vale encaixado entre os montes de Santa Quitéria – S. Domingos, a poente, e os contrafortes da serra de Sabagudo a nascente, onde corre o rio Bugio até Jugueiros, desaguando aí no rio Vizela.
(Fernandes, M.Antonino, Felgueiras de Ontem e de Hoje, p.100-102)

Nesta freguesia viveram povos pré-históricos romanizados e depois subjugados por aguerridos invasores, dos quais deve descender Sendino, que lhe deu o nome. Em 1112 a designação já figurava como nome da região. Situada num extenso vale é dominada a Sul pelo Monte de Santa Quitéria, e a Nordeste pelo Monte de São Sabagudo. A Igreja Matriz foi mandada construir no século XVI pela Universidade de Coimbra. De nota é a Casa da Cabeça de Porca, casa do séc. XVIII, com o seu chafariz colocado no átrio da Casa e uma Capela, assim como o Solar de Sergude, solar pouco vulgar, característico de finais da Idade Média e inícios da Renascença, que conserva ainda restos do gótico primário dos sécs. XIII e XIV.
Património arqueológico – Villa Romana de Sendim – Em 1992, na abertura dos alicerces para a construção de uma moradia, apareceram em Sendim, no concelho de Felgueiras, restos de muros e abundantes vestígios de cerâmicas de tipologia romana. A escavação arqueológica de emergência, aí realizada de imediato, veio revelar a existência de pisos pavimentados com mosaicos de tipo geométrico, colocando a hipótese de se tratar de uma Villa Romana. A Villa Romana, cuja escavação ainda não está terminada, revela uma planta estruturada em torno de um espaço central a céu aberto (peristilo) ladeado por dois corredores com cerca de 20 metros de comprimento. Frente a este espaço abrir-se-ia originalmente o “triclinium”, pavimentado a mosaicos geométricos policromos e que constituía a divisão solene da casa, onde se tomariam as refeições e onde o “dominus” recebia os seus convidados. Para os corredores abriam os cubicula (quartos) onde dormiam os residentes. Vários destes compartimentos eram também pavimentados em mosaico. Para além disso, a casa dispunha ainda de umas “termas”, onde se desenvolviam os rituais do banho e massagem que os romanos tanto apreciavam e de que ainda subsiste o hipocausto de uma grande piscina. Esta grande casa agrícola terá sido começada a construir na 2ª metade do séc.I d.C., tendo sido reformulada no séc.III e ocupada até à 1ª metade do séc.V, já em época Cristã, como nos comprova um tijolo onde aparece gravado o signo de Salomão. A continuação das escavações arqueológicas e a recuperação da Villa Romana de Sendim permitirá a toda a zona norte dispor de uma estação arqueológica de grande importância, quer a nível didáctico, quer a nível do turismo cultural.

  • Casa de Sergude
  • Casa da Cabeça da Porca
  • Igreja Paroquial
  • Villa Romana de Sendim

Festas e Romarias:
Festa de S. Tiago (primeiro fim de semana de agosto)

  • CONTACTOS

Telefone/Fax: 255 312 223
Telemóvel: 916 221 794
Email: freguesia.sendim@sapo.pt

  • LOCALIZAÇÃO

GPS 41°22’56.3″N 8°10’46.6″W
Junta de Freguesia de Sendim
Rua da Escola, n.º 267
4610-756 Sendim, Felgueiras

  • HORÁRIO DE ATENDIMENTO

Terças e quintas-feiras das 19h00 às 21H00
Sábado das 10h00 às 12h00